Título: Claros sinais de Loucura
Autora: Karen Harrington
Editora: Intrínseca
Gênero: Drama/Comédia
Ano: 2014
 Páginas:256
 Nota:5/5
Sinopse: Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra. Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu. Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.
 ****


 Pense em uma criança extremamente única, divertida e curiosa. Essas são as três palavras que definem Sarah Nelson. Ela é um pré-adolescente que vive com o pai e está se mudando constantemente por causa se uma tragédia que aconteceu dez anos atrás: A tentativa de Jane Nelson,mãe de Sarah, de matar os seus dois filhos afogados quando tinham dois anos de idade. Jane sofre de problemas psicológicos, e, apesar de Sarah ter saído ilesa, seu irmão não teve tanta sorte. E isso gera sempre uma grande polemica. A privacidade dos Nelson está sempre sendo invadida por repórteres, e essa falta de privacidade que obriga Sarah e até mesmo seu pai a mentirem sobre o passado. Quando Sarah está próxima de completar 12 anos as férias também se aproximam e o que a aguarda no final do verão é para ela um dos maiores problemas do mundo: O trabalho da arvore genealógica do sétimo ano. O objetivo de Sarah é a todo custo evitar esse trabalho e consequentemente o passado que todos os seus colegas podem acabar descobrindo. Sarah também tem outro projeto de verão, ela quer dar o primeiro beijo de língua e no começo fica extremamente preocupada que não consiga alcançar o seu objetivo, mas ela vai aos poucos notando que há coisas muito mais importantes do que isso.

"Como sempre, tenho que descobrir as coisas por conta própria e responder às perguntas que o meu cérebro inventa. Se você quer saber, estou à procura de qualquer sinal de estar enlouquecendo. Quando mais informação eu tiver, melhor poderei me defender do mundo, do cérebro dentro de mim que pode ou não ser igual ao dela."

"Pessoalmente, eu ia preferir que um garoto percebesse qual livro eu estava lendo e me dissesse que também tinha gostado. Isso parece um sinal melhor de carinho do que um beijinho qualquer. "
Uma das coisas mais impressionantes nesse livro é o jeito único da Sarah. Ela fala com uma planta. Conta todos os segredos para aquela pequena muda cercada de terra como se fosse uma pessoa de verdade. Ela é muito cuidadosa quanto aos seus sentimentos e em um truque que eu ouso dizer esperto, faz com que todos meio que vejam seu diário falso, que repousa na mesinha de cabeceira, enquanto o verdadeiro fica escondido.

Depois de muita insistência, o pai dela decide que não vai não mandar ela  para passar as férias na casa dos avós e sim para a casa da vizinha, Charlotte, com quem vai ficar a maior parte do tempo e criar fortes laços. As fazes pela qual Sarah está passando para alguns não é nada fácil, e com a ausência de uma mãe tudo fica mais difícil ainda. Muitas vezes ela demonstra a raiva que sente da mãe, outras o quanto carece de atenção.

Entre mudanças, e carência materna ainda há a paixão: A não correspondida e a em comum. Um livro recheado de sentimento, humor e lição que provavelmente você irá levar por um bom tempo. “A voz” de uma criança lhe dando uma importante mensagem é sem duvida uma grande experiência. O final foi uma das coisas mais bonitas que já vi; simples e ao mesmo tempo muito rico. Claros sinais de Loucura é um livro para manter no cantinho de seu coração. 

"É engraçado como eu não sabia que era só um monte de peças soltas até que alguém me abraçou forte."

“...ela disse que, se eu amar alguém quando mais estiver precisando me sentir amada, bem, aí vai chover tanto amor em mim que eu vou poder mergulhar.”

Deixe um comentário

LinkWithin